segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

ARTE SACRA SUL-RIO-GRANDENSE - 08

A ARTE SACRA e a INTELIGÊNCIA GRIS

Nunca tantos ficaram ignorantes do trabalho de tão poucos

Fernando Corona em relação aos artistas ativos no Rio Grande do Sul.

Fig. 01 – Igreja de BOM PRINCIPIO - RS.

MOREIRA , Altamir A Morte e o Além . Porto Alegre : programa de Doutoramento em Artes Visuais- Instituto de Artes – UFRGS março de 2006 –



Há necessidade de mergulhar fundo no oceano da “inteligência gris” para encontrar as pérolas da arte sacra. Isto apesar dos dados empíricos, da arte sacra, estarem espalhados por todo o planeta e constituem 70% do patrimônio da humanidade. No Rio Grande do Sul não é diferente.


O grande obstáculo para estes valores ganharem a luz do dia são as parcas informações relativas à elas. Impedem este fluxo o pequeno volume, a fragilidade da produção intelectual, a criação da palavra coerente e adequada às obras sacras. Existe um ponto crítico, e necessário, para ganharem a torrente contínua das informações contemporâneas e competentes para orientar os olhares do publico para a sua natureza e com significado no presente. Isto sem considerar as necessidades materiais básicas satisfeitas do público. Necessidades básicas e prioritárias satisfeitas para que o observador da obra de arte sacra vença o hábito da escravidão endêmica e a pobreza cultural e material herdada dos seus pais.


O trabalho acadêmico do Dr. Altamir MOREIRA tentou, ao menos, orientar os olhares do publico para a natureza e significado no presente de obras de arte sacra do Rio Grande do Sul. Ele abraçou o maior número possível deste patrimônio de obras de arte sacra. Ele visitou na sua pesquisa e registrou relatório de tese as obras de arte sacra num universo em 192 municípios do RS


Porém o seu valioso trabalho de tese ainda esta submerso no oceano da “inteligência gris”. Busca-se aqui dar uma pálida idéia deste trabalho de tese.

Fig. 02 – Igreja Nª Srª dos Remédios 1820 - QUEVEDOS - RS.

(região 9 do mapa fig.4 ou acesse GOOGLE EARTH em QUEVEDOS-RS com foto da igreja)

MOREIRA , Altamir A Morte e o Além . Porto Alegre : programa de Doutoramento em Artes Visuais- Instituto de Artes – UFRGS março de 2006 –


O seu autor foi orientado pelo Dr. Augusto AVANCINI. Apresentou o o relatório de sua pesquisa para a banca formada pela Dr. José Rivair MACEDO, Drª Maria Lúcia BASTOS KERN, Drª Romanita DISCONZI e Drª Sandra JATAHY PESAVENTO.



O autor resumiu o seu relatório a com o seguinte texto:



Este trabalho analisa pinturas murais religiosas sobre temáticas relacionadas à morte e ao além, encontradas em igrejas católicas da região central do Rio Grande do Sul. Pinturas realizadas ao longo do século XX e selecionadas com base em amostragem reunida em arquivos fotográficos representativos de 192 municípios. A partir de uma abordagem iconológica, busca entender: como os modelos iconográficos europeus foram retomados pelo muralismo religioso regional. Para tanto, identifica a origem dos principais temas escatológicos representados, bem como algumas das fontes visuais utilizadas, compostas, sobretudo, por gravuras que reproduzem temas religiosos de obras dos séculos XV ao iníciodo século XX. Entre as formas evitadas pelo muralismo rio-grandense destacam-se: alusões à nudez, poses com pouco dinamismo, e gestos considerados constrangedores para os padrões morais da região. Nas formas incluídas, destacam-se as poses com expressão gestual mais acentuada, vestes moralizantes e detalhes zoomórficos na figuração de demônios. Enquanto que o conjunto das formas preservadas aponta para um predomínio dos gestos representativos de emoções intensas. Com base nos estudos de Aby Warburg sobre a influência da empatia no resgate de configurações emotivas, e a partir do resultado das análises formais, foi estruturada a proposição principal desta pesquisa. Proposição que procura evidenciar uma relação entre a eficiência empática dos antigos gestos de ações passionais e a conseqüente preservação desses no muralismo religioso escatológico regional.



Palavras-chave: História da Arte Brasileira; Arte Religiosa no Brasil; Artes Visuais no Rio Grande do Sul; Pintura Mural; Iconologia; Iconografia

Fig. 03 – Interior da igreja de Nª Srª do Rosário RIO PARDO - RS.

MOREIRA , Altamir A Morte e o Além . Porto Alegre : programa de Doutoramento em Artes Visuais- Instituto de Artes – UFRGS março de 2006 –



MOREIRA, Altamir - A Morte e o Além: iconografia da pintura mural religiosa da região central do Rio Grande do Sul (século XX) Doutorado em Teoria, História e Crítica da Arte Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais Instituto de Artes Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Março de 2006

Fig. 04 – MAPA do RIO GRANDE do SUL com as regiões pesquisadas.

MOREIRA , Altamir A Morte e o Além . Porto Alegre : programa de Doutoramento em Artes Visuais- Instituto de Artes – UFRGS março de 2006 –




Para conhecer a tese de Altamir MOREIRA em http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/7181 com possibilidade de download Contatos com o pesquisador.– alt2mir@yahoo,com.br

http://althamir.googlepages.com/artes



Devo ao professor de Economia da UFSC, Dr. Gerônimo Wanderley MACHADO gwmachado@uol.com.br gmachado@brasilnet.net a expressão inteligência gris” como o saber que permanece no âmbito acadêmico e sem circular no âmbito mais amplo da indústria cultural. O Dr Geronimo realizou um 2º programa de doutoramento sobre este enfoque, considerando as teses das ditas Ciências Exatas. Veja referências ao autor em http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/economia/search/titles

3 comentários:

  1. Francisco Ricardo da Silva22 de maio de 2010 18:24

    Gerônimo Wanderley Machado também foi meu professor no Curso de Ciências Econômicas da UFSC. O Professor Gerônimo tem razão ao afirmar que o saber se limita ao âmbito acadêmico, pelo menos em sua maior parte.

    ResponderExcluir
  2. Caro Prof. Círio:
    Revendo a sua página, vi as referências que faz a mim e a minha nova Tese e lhe agradeço. Apesar de que, sempre que nos expomos poderemos encontrar os que acham tudo "orroroso odiei" (sic)...
    Isto faz parte, Círio, da democracia e da coragem dos que se expõem na luta pelas coisas boas e para que tudo fique, sempre, melhor...
    Com o fraternal carinho do.
    Geronimo.
    Fpolis (SC) BR.

    ResponderExcluir